thefortunes_grandeStorm in a Cup of Tea” é um dos êxitos dos The Fortunes, um grupo pop da cidade inglesa de Birmingham. A música foi escrita por Lynsey de Paul e Ron Roker, e chegou ao número sete da UK Chart Hit Singles, em 1972.

 

Storm in a Cup of Tea: o sucesso dos The Fortunes

Na altura em que se formaram, estava previsto que os The Fortunes seriam apenas um trio, constituído por Rod Allen, Glen Dale e Barry Pritchard. No entanto, após um período inicial em que usavam o suporte instrumental dos Cliftones, os The Fortunes incluíram no grupo Andy Brown (baterista) e Dave Carr (nas teclas).

Desde a formação, em 1963, a banda sofreu muitas akterações e é, atualmente, constituída por Michael Smithman, Bob Jackson, Eddie Mooney e Gleen Taylor.

O sucesso do single “Storm in a Cup of Tea” levou os The Fortunes até ás tabelas de música no Reino Unido e EUA. A letra da música concentra-se em dizer que não há necessidade para exagerar um problema, tornando-o mais grave do que é. A mensagem é transmitida depois dos problemas serem comparados a uma tempestade numa chávena de chá.

Os versos que publicamos a seguir incorporam muito bem esta mensagem subliminar que os The Fortunes nos trouxeram em 1972:
One little word that you may have overheard
Doesn’t mean to say that my love for you is dying
So don’t start crying over second-hand lying
Cuz it doesn’t matter
No, it doesn’t matter

It’s a storm in a teacup
Brewing up double
All those tiny little troubles
It’s a storm in a teacup
It really doesn’t matter
If it pitter, pitter, patters all the day